Live

Open Banking Week Global 2021

Com a abertura do período de inscrições para receber projetos, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) colocou o setor de seguros na vanguarda da utilização do sandbox regulatório como ferramenta para incentivar a inovação na indústria financeira do país.

Iniciado no dia 20 de julho, o período de captura de novas ideais para o setor será encerrado no dia 19 de agosto. De acordo com o edital, a Susep selecionará os dez primeiros interessados que apresentarem iniciativas em forma de produtos e serviços que sejam desenvolvidos ou oferecidos a partir de novas metodologias, processos, procedimentos, ou de tecnologias existentes aplicadas de modo diverso.

Os selecionados receberão autorização de funcionamento por tempo determinado para operar planos de seguro de acordo exclusivamente com as coberturas e limites estabelecidos no âmbito do sandbox. A seu critério, a Susep poderá selecionar até outros dez projetos que terão as mesmas condições.

Entre as vantagens oferecidas se destaca a redução do capital mínimo exigido, que cairá de R$ 15 milhões para R$ 1 milhão. Além disso, haverá a simplificação do envio de dados para a Susepe entre outras facilidades. As empresas selecionadas poderão desenvolver suas ideias pelo período de 36 meses.

A expectativa da Susep é receber projetos que modernizem o setor de seguros e ofereçam mais espaço para o teste de novos produtos ou serviços, estimular a concorrência, diminuir os custos e proporcionar a entrada de novos players no mercado.

O Sandbox Regulatório da Susep tem como foco os produtos massificados de curto prazo. Assim, ficam excluídos os segmentos de previdência, resseguros, grandes riscos e responsabilidade civil.

Na sequência do setor de seguros, o próximo a acelerar a prática da inovação por meio de sandbox regulatório deve ser o mercado de capitais. Isso porque a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) já anunciou em junho a criação do seu Comitê de Sandbox (CDS). O órgão estabelecerá o núcleo estratégico e o grupo operacional que serão responsáveis pela definição dos termos e os procedimentos complementares para o processo de admissão de participantes.

Entre os benefícios pretendidos pela CVM com o sandbox se destaca o aumento da visibilidade e tração de modelos de negócio inovadores, com possíveis impactos positivos em sua atratividade para o capital de risco. Além disso a intenção é buscar o aumento da competição entre prestadores de serviços e fornecedores de produtos financeiros no mercado de valores mobiliários, assim como o aprimoramento do arcabouço regulatório aplicável às atividades regulamentadas.

Num terceiro momento, o próprio Banco Central também terá sua versão de sandbox entrando em operação, com a captação de produtos e serviços no âmbito do Sistema Financeiro Nacional ou do Sistema de Pagamentos Brasileiro.

A busca do BC é por projetos que empreguem inovação tecnológica ou viabilizem o uso alternativo de tecnologia já existente produzindo aprimoramentos como ganhos de eficiência, aumento da capilaridade e redução de custos.

Com todo este cronograma prestes a ser estabelecido fica claro que o tempo de falar em sandbox como um tema teórico e no campo da conceitualização já passou.

Agora as cartas estão sendo expostas na mesa e o jogo está começando para valer. Os vitoriosos serão os que forem mais rápidos em aproveitar as oportunidades. Entre em contato com a Sinqia e vamos ganhar juntos o jogo dos sandbox regulatórios. https://bit.ly/33AMtau

Inscreva-se em
nossa newsletter!

Aqui você encontra as novidades e as tendências dos mercados de tecnologia e financeiro. Cadastre-se!






Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, desempenho e personalizar o conteúdo do site.
Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade